(Estudo bíblico preparado por Ennis Meier  em 1999)


Sinopse:

A Lição da Escola Sabatina, é uma enganação !

A afirmação de Ezequiel 34, que na segunda vinda de Cristo "as ovelhas estarão espalhadas como num dia de nuvem escura", e as acusações e REJEIÇÂO serem genéricas a todos os pastores, (especialmente aos pastores de Israel --- verso 2) destoa signitivamente da mensagem Adventista, de ser a sua igreja o "remanescente" dos que serão salvos na ocasião da volta de Cristo.

A referência ao capítulo 34 na Lição da Escola Sabatina chega ser
DELIRANTE, ao comparar um povo desterrado e escravo, como "UM LINDO REBANHO DE OVELHAS" !!!   --- Ainda se observa, a intenção de desviar a acusação que recai sobre os pastores.
 




EZEQUIEL  34 

Uma profecia clara e sem figuras de linguagem, exceto "ovelhas",  sendo que no último verso, diz estar tratando de homens !

No verso 2 declara que os pastores são de Israel, e no tempo do fim
(IGREJA ADVENTISTA).

Nos versos 10 em diante encontra-se a mais detalhada descrição da 2a. Vinda de Cristo encontrada na Bíblia. --- Profecia ignorada pela administração Adventista.

Esta profecia afasta a corporação Adventista como sendo a organização que conduzirá o Povo de Deus até o dia da vinda de Cristo. --- "as ovelhas estarão espalhadas como num dia de nuvem escura, e sem pastor." --- Também não haverá outra organização que sucederá a Igreja Adventista.

A figura de linguagem de Apocalipse 3:16 "VOMITO" representa uma rejeição definitiva.

"VERDADE PROGRESSIVA" com que a organização Adventista justifica as suas mudanças, seria sempre na mesma direção, e
nunca contradizendo o que pregavam os pioneiros da igreja !




A lição da Escola Sabatina de 1991 (mostrada abaixo) diz que  Ezequiel 34 está tratando da liderança de Judá - Depois muda, como se as coisas estivessem acontecendo no cativeiro da Babilônia.


Veja os absurdos na interpretação da administração da igreja Adventista:  

O povo de Israel no exílio sonhando com a pátria e a liberdade.
O Senhor manda Ezequiel profetizar  prometendo livra-los da mão dos caldeus ! 

Não , ... promete livra-los dos  pastores, seus compatriotas ! 

O que  está  errado nessa interpretação ?  Afinal,  os  pastores eram piores que os senhores caldeus ?   Os pastores não voltariam  juntos para a Palestina , e a exploração continuaria ?


Não aceite essa interpretação da administração cheia de paradoxos !    Entenda o que diz a profecia :

As ovelhas são os membros da igreja Adventista ;  são as vítimas,  e sobre elas está a preocupação do Senhor.

No verso 2 ,  o Senhor manda profetizar.   Indicação suficiente para estar falando do futuro ,  e não  uma mera descrição de fatos que estavam acontecendo na época.

Os pastores são os de Israel. (verso 2)

Entre os  versos 1 a 10, o Senhor descreve a situação de suas ovelhas.  Do verso 11 a 13 o Senhor descreve a segunda vinda de Jesus.                 

Nos versos seguintes,  fala da Nova Terra e do Juízo de Deus.  

Para entender essa profecia, o primeiro passo é caracterizar a segunda vinda de Jesus entre os versos 11 e 13.

Não poderia ser a primeira vinda, pois então Jesus não teria cumprido a sua promessa de levar as suas ovelhas.
O povo de Israel, quando Jesus veio a primeira vez, não estava disperso como dizem esses versos. (já haviam voltado da Babilônia)

Uma vez caracterizada a segunda vinda de Jesus, os pastores que se refere entre os versos 1 e 10,  são os de HOJE.  No  verso 10 o Senhor está demandando as suas ovelhas. (sgnifica tomar com prestação de contas)

 

Transcrevendo os versos 10 a 13 e 27:

O que está na Bíblia:   (Tradução João Ferreira de Almeida, revisada)

10.  Assim diz o Senhor Jeová: Eis que eu estou contra os pastores, e demandarei as minhas ovelhas da sua mão, e eles deixarão de apascentar as ovelhas, e não se apascentarão mais a sí mesmos; e livrarei as minhas ovelhas da sua boca, e lhes não servirão mais de pasto.

11.   Porque assim diz o Senhor Jeová :  Eis que eu, eu mesmo procurarei as minhas ovelhas, e as buscarei.

12.  Como o pastor busca o seu rebanho, no dia em que está no meio das suas ovelhas dispersas,  assim buscarei as minhas ovelhas;  e as farei voltar de todos os lugares por onde andam espalhadas, no dia da nuvem e da escuridão.

13.  E as tirarei dos povos, e as farei vir dos diversos paises, e as trarei à sua terra, e as apascentarei nos montes de Israel, junto às correntes, e em todas as habitações da terra.

27.  ... e saberão que eu sou o Senhor, quando eu quebrar as varas do seu jugo e as livrar da mão dos que se serviam delas.

" Eis que eu, eu mesmo procurarei as minhas ovelhas, e as buscarei."

No verso 25 diz que as ovelhas poderão dormir com segurança no deserto, o que indica estar falando do céu.

No verso 23 e 24 fala duas vezes "meu servo Davi " será príncipe e servirá como  pastor.  " Servo Daví " , não  pode estar falando de Jesus, pois era o próprio Senhor Jesus quem ditava à Ezequiel essas palavras.

Daví não poderia ser mais que "príncipe", pois lá haverá um REI !

Sendo assim, todas as pesadas acusações entre os versos 1 e 10  são para os pastores da Igreja Adventista de HOJE.

O verso 3 diz : " Comeis a gordura, e vos vestís da lã; degolais o cevado ; mas não apascentais as ovelhas." 

Apesar de haver 3,5 obreiros ativos por Igreja Adventista no mundo, a melhor estimativa é de um pastor cuidando de 5 a 10 igrejas !  
(um pastor cuida de 13,4 igrejas no Nordeste do Brasil)

Cada um dos versos de 1 a 10 , faz sentido com o que acontece HOJE.


Argumentos contrários e sem consistência !

* Se tiverem 10 pastores justos, Deus não rejeitaria a classe dos pastores. (parafrazeando Sodoma e Gomorra)

Pelo pecado de um só homem, (Acã) Deus ameaçou retirar a sua proteção sobre mulheres, velhos e crianças.   (Test. Sel.Vol.1 pg.334)

* É uma minoria !  Deus  não generalizaria uma rejeição por causa de uma minoria... embora existam muitos pastores não envolvidos em corrupção, mas para proteger-se dos inconvenientes, ficam calados e acabam incidindo em responsabilidade por omissão.

* Se isso fosse verdade a sra. White teria predito ?  O que o Senhor diz, não precisa do aval da sra. White.  Ela teria prejudicado mais de 100 anos de ministério útil e necessário. A  sra. White passa por alto Ezequiel 34.

* Estariam todos os pastores rejeitados ? -  Como classe sim, não como pessoas.    Os deveres do pastor são semelhantes aos deveres de todo o membro da igreja. (apenas numa proporção maior) Certamente Deus  vai aceitar o trabalho  de um pastor honesto, na qualidade de membro da igreja.  Apenas alguns são os corruptos,   e a grande maioria silencia !  Resta saber,  até que ponto o Senhor vai aceitar esses pastores que ficam calados, com medo de prejudicar as suas carreiras ; "amantes da paz" por mera conveniência !


É inaceitavel o argumento que é uma profecia de aplicação múltipla. --- Descreve fatos sem paralelo.
  

Jesus não teria cumprido a sua promessa de levar as sua ovelhas !    Essa profecia  é incoerente com a primeira vinda de Jesus.  TEM UMA ÚNICA APLICAÇÃO: HOJE  !

Se estivesse fazendo referência às condições do cativeiro da Babilõnia e depois a 2a. Vinda de Jesus, haveria um hiato de 2500 anos entre o verso 10 e 11.

Ezequiel 33:21,  registra a queda de Jerusalem. Foi destruida pela segunda vez, como relata II Reis 25.  Todos os sacerdotes foram mortos e o templo foi incendiado. Degolaram os filhos do rei na sua presença e vazaram-lhe os olhos, levando-o prisioneiro para a Babilônia.  Ficaram os pobres na terra governados por capitães prepostos pelos caldeus. Alguém ainda matou um capitão, e o povo fugiu para o Egito com medo dos caldeus se vingarem.

Na Babilônia não havia condição para a exploração descrita entre os versos 1 e 10. Eram escravos e devemos lembrar que pouco depois Daniel foi posto numa cova de leões por adorar um outro Deus "extranho" para os caldeus.

Qualquer alternativa na interpretação dessa profecia cai em absurdos, exceto de que esteja tratando de HOJE !

NA PALESTINA:

A  revolta do rei Zedequias contra o rei da Babilônia, provocou a última e arrazadora incursão dos caldeus contra Jerusalem e Judá. O fato é narrado em Jeremias 52:24 --- II Reis 25 --- II Cronicas 36:17.

O profeta Ezequiel se encontrava na Babilônia quando escreveu o seu livro. Tinha sido levado como cativo pelos caldeus, em incursão anterior à Palestina.
O profeta Jeremias era seu contemporâneo, mas ficou na Palestina.

Das narrativas dessa incursão dos caldeus, destacamos:

n Jeremias 52:24 e 27 relata a morte dos principais dos sacerdotes.
n Jeremias 52:10 diz: "... e degolou todos os príncipes de Judá em Ribla."
n II Cronicas 36:20 diz: "E os que escaparam da espada levou para a Babilônia; e fizeram-se servos, ..."

O templo foi totalmente saqueado e incendiado; os palácios dos nobres, muros de Jerusalem, tudo foi destruido e incendiado.

Na realidade, na Palestina sobrou um pastor, que era o profeta Jeremias; que havia sido preso e quase foi morto ao profetizar o desastre.

Nos relatos, diz que só ficaram na terra os pobres que lavravam a terra; os demais, que escaparam da espada, e todos os que tinham uma profissão, foram levados para a Babilônia.
A uma certa altura mataram Gedalias, o maioral posto pelo rei da Babilônia.  
O povo com medo fugiu para o Egito temendo os caldeus e a terra ficou deserta.

Para dar uma idéia das distâncias: O Egito fica a 400 quilômetros da Palestina, e a Babílônia (Iraque) fica a 600 quilômetros da Palestina. Na época, sem estradas e sem qualquer forma de apôio intermediário, o problema era mais de sobrevivencia durante uma viagem de 1 mês.
Tinham que atravessar desertos e lugares infestados por feras !
Embora a ocupação da Palestina pelos caldeus deveria ter sido de forma precária, devido a falta de transportes e comunicações, a descrição de Ezequiel 34:1-10 não se encaixa numa Palestina após a destruição de Jerusalem.
As guerras daquela época, não tinham qualquer apôio logístico e de suprimentos; era baseada no saque e na expropriação de colheitas e animais.

Jeremias era sem dúvida um dos únicos líderes religiosos que sobreviveu, e não podemos aceitar como um dos responsáveis pelo cenário descrito entre os versos 1-10. 
Não se pode presumir qualquer tipo de organização religiosa entre os que ficaram na Palestina, explorando o povo !
O profeta Jeremias morando na Palestina, teria simplesmente relatado a exploração do povo pelos pastores;  Deus não precisava levantar um profeta a  600 quilômetros de distância, para dizer o que estava acontecendo na Palestina !

Por outro lado, nada indica que entre os versos 1-10,  Ezequiel esteja falando de líderes mortos, que qua jaziam em valas comuns, ou mais provavel, que tenham sido devorados por animais do campo e aves de rapina. 
Em Jeremias 25:33 vemos que não foram enterrados  e no verso 35 confirma que todos os pastores morreram !

Somente "alguns" dos pobres ficaram como vinhateiros e lavradores.(Jeremias 52:16 e II Reis 25: 12) 


NA BABILÔNIA: 

Apenas umas 15 mil almas foram levadas para o cativeiro da Babilônia. (Jeremias 52:30 e II Reis 24:14 ) Isso faz presunir que quase a totalidade da população foi morta na invasão dos caldeus.
Embora houvesse uma relativa liberdade religiosa na Babilônia, em muitas ocasiões os caldeus conspiraram contra essa liberdade. (Caso dos 3 hebreus jogados na fornalha e Daniel na cova dos leões) 

Porém, a partir do número de cativos, admitir-se uma poderosa organização sacerdotal que explorava os hebreus seus compatriotas, não tem qualquer lógica.
Como cativos, todos eram explorados pelos senhores caldeus e teriam uma precária condição econômica.

Os profetas Ezequiel e Daniel, eram alguns dos poucos líderes e pastores dos hebreus  catívos na Babilônia !



 


Imagem da Lição 10 da Escola Sabatina de 2-8 junho de 1992

                            


No parágrafo logo acima do gráfico, está escrito:
 

" No capítulo 34, Ezequiel compara a nação a um lindo rebanho de ovelhas. Seus pastores eram dirigentes políticos e religiosos; reis, principes e sacerdotes. Os profetas-verdadeiros e falsos-também exerciam funções de liderança. Na igreja cristã, quem são os pastores do rebanho ?"
Verdade Central:
Deus confia o cuidado do Seu povo a subpastores."

No segundo parágrafo desta imagem da Lição está escrito:

" No tempo de Ezequiel, Deus repreendeu os subpastores que exploravam o Seu povo e que, em grande parte, foram resposáveis pelos pecados que conduziram à sua dispersão..."

(no original da lição em inglês, a palavra subpastores "undershepherds" é mais frequentemente usada nas igrejas para designar os diáconos e anciãos da igreja --- 
O autor da lição muda a acusação que o Senhor faz aos pastores, para os oficiais da igreja )



O  "doutor em divindade" que escreveu a lição, não fez o dever de casa !   (deveria ter estudado)
Pior ainda, onde na Bíblia diz "pastores" ele troca para "subpastores" e demonstra estar procupado, sempre desviando a atenção dos pastores de HOJE !  

O seu objetivo era minar e corromper o significado literal da palavra "pastores", para ninguém fazer analogia com os pastores de hoje. 
A
o longo da lição repete muitas vêzes a expressão: "no tempo de Ezequiel", revelando a sua preocupação, de que ninguém pense que esse tempo poderia ser HOJE !
(
Um perigoso manipulador da mente dos membros da igreja !)


Ezequiel 34: 
"Um lindo rebanho de ovelhas" explorados por seus pastores ?



Q
uem descreve a situação desse "lindo rebanho de ovelhas" é o livro da Bíblia:
"Lamentação de Jeremias"
A maior parte do povo morreu pelo fio da espada e foram devorados por animais e aves do campo.
Uma pequena parte do povo foi levada como escravos para a Babilônia. Uma parte ainda menor ficou na terra e fugiu para o Egito !
 

  Diretor Associado do Instituto de Pesquisas Bíblicas da Conferência Geral - "doutor em divindade" pela Andrews University - Graduado em MASTER pela Potomac University.


Conheça o "doutor em divindade"  que escreveu essa Lição da Escola Sabatina !

Numa lição anterior, o autor procura criar a imagem da corrupção sobre a "liderança de Judá",  para que Ezequiel 34 se torne mais fácil de ser entendido como um problema daquele tempo.  
Em semana anterior a lição também trata do "Ideal de Deus para o seu povo", e chega fazer insinuações de que esse ideal acontece Hoje !

Na imagem da lição mostrada acima, está escrito: "Sintam a certeza de que Deus está dirigindo Sua Obra.  Sejam leais a Deus, ..."  
Embora a premissa seja verdadeira, Deus ainda não intervem diretamente e confiou esse trabalho a homens. O rei Acab e Jezebel usavam esses mesmos argumentos !

Infelizmente, esses homens estão mais preocupados em manter os previlégios e mordomias, que chegam a adulterar o que a Bíblia diz, para manter a venda nos olhos dos membros da igreja. 
 



                                     
Singularidade da profecia 

Constatamos que a aplicação da profecia para àquele tempo, não se ajusta a uma terra desolada e quase vazia, e nem ao cativeiro da Babilônia. 
 
O Senhor vem em socorro das Suas ovelhas, (à partir do verso 10) em forma "Pessoal" e direta, para livra-las da situação descrita anteriormente. 

Não se pode desmembrar as duas partes da profecia: As ovelhas exploradas e o socorro e redenção das ovelhas, por uma ação direta do Senhor.


Não significaria a volta para a Palestina, quando os exploradores voltariam junto, e nada se ajusta a descrição dos versos 11 a 13.   As ovelhas não poderiam dormir tranquilas nos bosques e desertos, e nem Daví resurgiu da sepultura para pastorear o povo de Israel.

Os versos 11 a 13 não significaria a primeira vinda de Jesus, pois o socorro prometido teria levado 500 anos !  Jesus não teria cumprido a sua promessa de levar as ovelhas para o lugar descrito, à partir do verso 11, que mais faz lembrar o céu. 
Quando Jesus veio, o povo já tinha voltado da Babilônia e do Egito e não satisfaz a descrição de que as ovelhas estariam espalhadas. (verso 12) 
Cabe lembrar que 35 anos depois que Jesus voltou ao céu, novamente a destruição assolou a nação de Israel.
 

Na imagem da lição mostrada acima, no segundo parágrafo admite:  "Ele ainda promete reunir os fiéis no Seu reino."  
Entre os versos 10 e 11 teria um espaço de tempo de 2500 anos e ao lermos hoje essa profecia, o socorro do Senhor às ovelhas, ainda não aconteceu !


Você só tem duas obções:
Ezequiel 34 é um tabuleiro de peças incongruentes em que nada se ajusta; ou é uma profecia perfeita para os nossos dias.

Não há que se falar em profecia com multipla interpretação, quando só há 1 interpretação aceitável e lógica.

A profecia de Ezequiel 34 está diretamente ligada a Apocalipse 3 e Isaias 56.

Uma profecias oculta aos "doutores em divindade" da Andrews, mas que você pode entender !